X Semana de Música Antiga da USP – Beethoven Eróica – 09/09/2019 – 12:30 na Biblioteca Brasiliana Guita & José Mindlin -Grátis

Postado por Toque Clóvis Ribeiro em 08/set/2019


 

Toque Cultural

X Semana de Música Antica da USP

Já temos a primeira data da X Semana de Música Antiga da USP, na próxima segunda-feira às 12h30 😉

Publicado por Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin em Quinta-feira, 5 de setembro de 2019

 

https://www.facebook.com/pages/category/Musician-Band/Conjunto-de-M%C3%BAsica-Antiga-da-USP-225959464232210/

A imagem pode conter: 21 pessoas, pessoas sorrindo, área interna

O Conjunto de Música Antiga da ECA-USP foi criado em 2001, tendo sido o primeiro deste gênero em uma universidade brasileira. Concentra-se no repertório dos sécs. XVI ao XVIII e utiliza instrumentos da época, como flauta doce, traverso, chalumeau, fagote barroco, violino, viola, violoncelo e contrabaixo barrocos, viola da gamba, cravo, harpa, alaúde, teorba e guitarra barroca. O grupo reúne alunos da graduação, pós-graduação e extensão cultural, professores do Departamento de Música da ECA e profissionais convidados, num ambiente enriquecedor de troca de experiências. Desde sua criação, já realizou diversos projetos envolvendo o repertório dos sécs. XVI ao XVIII, entre eles, duas montagens cênicas completas: a ópera L’Orfeo, de Claudio Monteverdi (Theatro São Pedro, SP, 2005) e o Divertissement Les Arts Réunis, de Jean-Baptiste Lully (Theatro Polytheama, Jundiaí e Sala Olido, SP, 2011, em parceria com a Mercurius Company, Londres).

O Conjunto tem realizado projetos conjuntos com intérpretes e instituições que possuem um trabalho reconhecido na música antiga. Este intercâmbio tem sido fundamental para o crescimento musical do conjunto, para o amadurecimento das pesquisas individuais, para o diálogo e aprendizado, para o enriquecimento cultural e humano e para situar o Brasil no mapa internacional de interpretação e pesquisa musical.

Entre os músicos que já realizaram projetos com o grupo encontram-se o brasileiro Ricardo Barros (University of Hull, Inglaterra), a inglesa Mary Collins (Royal Academy of Music, Londres) e o alemão Christian Beuse (Universität der Künste, Berlim), entre outros. Em 2012, a convidada do Conjunto foi a violinista Judy Tarling, uma das mais respeitadas especialistas em música barroca da Inglaterra. Com dois livros publicados, Judy tem um trabalho voltado não só para músicos, mas para ouvintes de música antiga em geral.

Por ser ligado à universidade, o Conjunto tem uma proposta específica, que agrega o ensino, a pesquisa e a interpretação musical de alta qualidade. Seus participantes não apenas dominam a técnica de instrumentos antigos, mas trabalham ativamente com diversos aspectos da pesquisa, traduzindo e estudando tratados, editando partituras, pesquisando os instrumentos da época, e, finalmente, transformando todo este conhecimento em prática musical inteligente.

Entre as pesquisas realizadas no âmbito do Conjunto, já se encontram três traduções de tratados musicais seiscentistas, trabalhos sobre a história ou a interpretação em instrumentos antigos, pesquisas sobre recepção, estilo e gosto musical, retórica musical, etc.

As atividades musicais do Conjunto têm tido excelente repercussão, e a proposta de realizar concertos didáticos é uma ação efetiva no sentido de levar as pesquisas que fundamentam esta prática para fora dos muros da universidade. Seus integrantes estão convictos de que é possível mostrar, de forma simples e acessível, que estas pesquisas não constituem especulações herméticas – pelo contrário, são meios poderosos para enriquecer o diagrama perceptivo de músicos e de ouvintes.

A interpretação historicamente orientada, também conhecida como música antiga, vem ganhando espaço no cenário mundial, não só por estabelecer alternativa à prática musical tradicional, de enfoque romântico, mas também por oferecer uma incursão por repertórios não tradicionalmente explorados pelas orquestras e conjuntos que não utilizam instrumentos históricos. Sendo assim, é importante que instituições de ensino brasileiras estejam alinhadas com as tendências mundiais, oferecendo a seus alunos a oportunidade de se travar contato com esse enfoque musical. O conjunto de Música Antiga da ECA-USP é um dos únicos grupos de música antiga vinculados a uma universidade brasileira, e tem um objetivo que o diferencia da maioria dos grupos musicais, que é a de reunir trabalhos de pesquisa e a prática musical.

Fonte Internet
Jornalista Cidadã: Clovis Ribeiro de Oliveira
Informações: 11- 992025160

Nossa Agenda